Perfil
Menina pequena que ama Starbucks e qualquer coisa que inclua letras. Lê para viver e escreve para respirar. Não sabe andar de bicicleta mas sabe fazer origamis. Vícios incluem Harry Potter, maquiagem, finais felizes e livrarias.
 
 

Wishlist

♥ ♥ Coleção de obras completas de Shakespeare ♥ Cd The Metal Opera (parte I e parte II), do Avantasia ♥ Livro Fama e Anonimato, Gay Talese ♥ Livro A Menina Que Roubava Livros, Markus Zusak
 
 Arquivos

25/07/2010 a 31/07/2010

07/02/2010 a 13/02/2010

15/11/2009 a 21/11/2009

30/08/2009 a 05/09/2009

23/08/2009 a 29/08/2009

19/07/2009 a 25/07/2009

31/05/2009 a 06/06/2009

10/05/2009 a 16/05/2009

26/04/2009 a 02/05/2009

12/04/2009 a 18/04/2009

 
 Links

 

Visitas

 
26/07/2010 às 23h29

♥ Ouvindo: o som da minha CPU esquentando lentamente

Eu tinha uma grande amiga, que amei como nunca amei em uma amizade.

Ainda lembro das nossas risadas, nossas piadas, nossos telefonemas, nossos choros. Nunca houve brigas. Em dois anos de convivência, eu sentia que a conhecia uma vida inteira, que seriamos amigas uma vida inteira. Amei-a de todo o coração, como se fosse parte da minha família, parte da minha vida, parte de mim.

Até algumas horas atrás, uma parcela dessa parte de mim ainda doía com uma dor já antiga, que fez aniversários. Doía com o sentimento de ter sido usada, enganada, difamada por alguém que eu tão bem queria. Quando mais recente, parecia sangrar sempre que eu conhecia alguém novo, nunca confiando, nunca me entregando. Foi preciso lágrimas e pessoas sinceras para me fazer entregar minha amizade para pessoas novas e deixá-las entrar na minha vida – sempre, porém, com o pé atrás, com a lembrança e o fantasma. Nos tempos atuais, era uma ferida de alguns pontos segurando.

Eu olhei nos olhos dela. Ela não olhou nos meus. A dois anos, ela havia criado um pequeno inferno escaldante na minha família. Eu abracei a dela hoje. Quando ela me chamou por “Mari”, na hora da despedida, eu senti uma sensação que me lembrou de todos os risos dados juntos, que se seguiu á lembrança de todos os toques de telefone que ela não respondeu. Quando ela virou as costas, não existiam asas presas nas omoplatas, e eu finalmente senti que os fios de marionete já não existiam nas minhas.

Os olhos eram pequenos. Pequenos e quase verdes. Os meus, no carro, ficaram vermelhos com as lágrimas que terminaram de lavar esse fantasma, esse marco, essa cicatriz de mim. O silvo da serpente já não ecoa mais na minha mente.

Me sinto feliz.



Speak Up!

09/02/2010 às 22h51

Ouvindo: um pout-porri de Broken-Hearted Girl, If I Were a Boy e Halo – Beyonce

 

Por mais cruel que seja dizer isso nesses tempos tempestuosos (literalmente), algumas nuvens são muito piores do que as que se aglomeram no céu – se você for de São Paulo, provavelmente as quatro da tarde de qualquer dia dessa semana você poderá presenciar o evento com seus próprios olhos. São aquelas nuvens sorrateiras, com cheiro de enxofre, densas e carregadas de coisas muito mais ácidas do que qualquer chuva pode ser: elas chegam sem mais, nem menos. As vezes passam meses sem te visitar, as vezes semanas. Me sinto mal pelos que passam apenas algumas horas sem elas. Seja como for, todos as tem - só não sei como chamá-las.

 

A previsão do tempo pode indicar sol, e ao contrário do que você esperava, seu dia resultará em raios. Trovões barulhentos, dizendo em voz alta as coisas que você ignora, e raios resplandecendo de luz vão te mostrar tudo que você escondeu em uma gaveta. A mesma gaveta em que você um dia teve que colocar sonhos ditos impossíveis, pensamentos infelizes e outros felizes. A gaveta vai ganhar uma frestinha, pequenininha: e nela choverá. E você choverá pelo seu próprio rosto, levando embora máscara, dores e amores, tão violentamente quanto a mais vil correnteza.

 

E, então, quando você menos esperava, o tempo abrirá. A água começa a abaixar lentamente. Lá no horizonte, parece um arco-íris. Você não tem certeza, porque seus olhos ainda parecem estar borrados com toda a enchente de emoções que extravasaram. Mas, seja lá o que for, você sabe que a tempestade já foi embora – pode respirar de novo.



Speak Up!

21/11/2009 às 19h43

♥ Ouvindo: Lost Wings (Instrumental) - Tsubasa Chronicles

 

 

 

 

Sabe quando um frio estranho parece se apoderar da sua nuca e você sente que seu estômago, ao invés de estar onde deveria, resolveu dar uma voltinha até seus pés com borboletas voando? Quando um simples passar de caixinha de doce faz dedos se roçarem e você sente como se aquela pele macia tivesse deixado uma digital queimando em você? Quando você sente vontade de rir com essa pessoa, de gritar com ela, de chorar com ela? Quando você sente tudo isso... o que você faz com esse sentimento?

 

É difícil querer alguém, muito mais do que querer algo. Normalmente, “algo” sempre pode ser buscado e conseguido: seja porque você quer ser a melhor profissional no que faz, tirar uma nota incrível, comprar uma casa, ajudar velhinhos, dançar a macarena vestido de Carmem Miranda. Qualquer uma dessas coisas, desses algos, você consegue se você se esforçar e realmente colocar força, garra e seu tempo nisso. Mas, quando você quer alguém, as coisas fica mais complicadas. Uma pessoa não se compra – nenhum cheque paga a aposta de ter seu coração na mesa. Esse seu coração que não bate mais no peito, mas sim na boca; ele quer pular para fora, dizer mil coisas, calar outras duas mil. Mais que tudo, ele quer sentir a outra pessoa, ser acolhido, ouvir que és querido também. Podem falar que é questão de jogar charme, ser bonita, inteligente, engraçado, se dar bem com a mãe ou gostar de futebol. Nada disso de fato importa quando o que comanda é seu coração.

 

O coração é totalmente cego. Não precisa que a pessoa querida seja rica, bonita ou até inteligente. Quando você gosta, você gosta. Quando quer, quer. Sem motivo aparente. Pode ser porque essa pessoa tem um cheiro de canela que, cada vez que você sente, tem vontade de abraçá-la só para poder sentir melhor. Ou porque ela sabe cantar sua música favorita de todos os tempos, que quase ninguém conhece, e com uma voz que faz o seu estômago dar outra voltinha indesejada. Porque quando você olha dentro dos olhos dela você vê tantas emoções e expressões que sente que poderia passar cada segundo dos próximos meses só tentando descobrir o que cada uma é; e feliz por nunca chegar ao fim. Existem outras pessoas que querem você, outros que vão achar que, porque você faz piadas ou entende de algum assunto, é a pessoa mais querida. Mas, quando não se tem a irracionalidade, não significa nada. Não dá para fazer nada.

 

Quando você fica distante, você olha esse alguém e quer muito. Sem saber se é querido de volta, sem saber como fazer parar. E, se você está esperando que no final do post eu dê uma brilhante conclusão ou idéia do que fazer com o sentimento, vou ter que te desapontar: eu não faço a mínima idéia do que fazer com isso dentro do meu peito ou dentro do seu. Eu só sei o que se tem vontade de fazer. Querer alguém é complicado – é dar o suficiente de si mesmo para alguém, dar o bastante para eles quebrarem todo seu coração. Porém, existe a chance de eles fazerem exatamente o oposto. Arriscar tudo, quem consegue? Não sei. Só sei que, enquanto meu estômago parece uma montanha russa, eu tomo chá com canela e penso no que fazer. Mais do que isso, no que outra pessoa iria fazer.



Speak Up!

01/09/2009 às 17h14

... em pregos

♥ The Heart Of The Matter - versão da India.Arie

Peços desculpas adiantadas porque o texto não ficou bom, mas hoje eu realmente precisava desabafar escrevendo. Não me preocupei com a perfeição dele ou mesmo com qualquer coisa além de passar um pouco da minha mente para palavras - e eu senti muita vontade de colocar aqui. Também peço desculpas pelo segundo post seguido com o tema ligeiramente parecido.

Eu tenho uma cicatriz na palma da mão esquerda. Com o passar do tempo, ela se tornou uma linha tão fina e clara, incrustada na pele, que ninguém que não saiba o que procurar vai achar-la. Mas eu sei que está ali.

 

Lembro perfeitamente do dia em que eu ganhei essa marca. Cai, um tombo bem feio, no meio do pátio lotado da minha escola enquanto ensaiava uma peça de teatro. Minha mão foi parar em cima de um prego, de tamanho médio e provavelmente muito sádico, já que estava com a ponta para cima. Não vou contar em miudezas o que aconteceu porque acho que deu para ter uma noção da onde veio a cicatriz. Na hora do tombo, levantei e ri; por vergonha, por medo do que iriam pensar e por querer bancar alguém que não sou. Levou alguns segundos para eu notar que minha mão latejava como se queimando, que havia sangue nela, na minha blusa e um pouco no chão.

 

Os anos se passaram e hoje essa marca se tornou algo que quase se confunde com as linhas da minha palma e de qualquer história que possam dizer que elas contam. Contra alguma luz, pode-se notar que existe uma pequena fita, bem próxima á uma veia, que é um pouco mais branca que o resto da pele. Nas primeiras semanas depois da cicatrização, a realidade era outra: era vermelho vivo, arrorexeado, marrom. Um machucado exposto ao mundo.

 

Quando olho para ela, sei que ninguém que não eu pode achar-la ao acaso – é um segredo entre mim e quem eu quero que saiba. Apenas eu consigo me lembrar com perfeição do tombo, da sensação de queimação e do quão quente era o meu sangue fino. Também não há outro alguém conhecedor de algumas outras cicatrizes secretas que eu carrego longe da minha mão.

 

Viver sem cicatrizes é ser uma pessoa incompleta. Não digo aqui cicatrizes de pele; as mais profundas são aquelas invisíveis e que, por tantas vezes, mantemos lacradas dentro de nós. Muitas vezes se tem vergonha e medo delas. Porém, eu não consigo parar de me dizer que é melhor sangrar por cortes repletos de sentimentos do que viver a vida sem nenhuma marca ou cicatriz para saber que, de fato, a própria vida nos marcou e a sentimos.

 

As vezes, como hoje, eu gostaria de achar alguém que conseguisse enxergar a cicatriz e além. Que alguém pegasse minha mão e tivesse vontade de saber a história que tem por trás disso – não para ver uma cicatriz na minha mão esquerda, mas para conhecer as que eu guardei bem longe da pele. Alguém que eu conhecesse as próprias cicatrizes, e não que se esforçasse em esconde-las de mim á todo custo. Uma pessoa que tivesse uma certa cicatriz tão dolorosa quanto á que eu tenho em mim.

 

No final das contas, acho que admiro cicatrizes.

 



Speak Up!

29/08/2009 às 21h16

... em feridas

 

♥ Ouvindo: Piano Concerto #23 Adagio - Mozart

 

“O que fizeram com você? Como foi que prenderam sua alma nessa gaiola, cortaram suas asas e te deixaram para morrer dentro de si? Quem te ajoelhou, prendeu suas mãos e te deixou sem avisos?

 

Não precisa ter medo – eu não vim te machucar mais. Eu entendo sua dor; sua dor já foi a minha dor. Eu senti o mesmo fogo queimar, uma face espelhada assombrou cada sonho e a mesma facada gelada em um olhar. Tem algo dentro de você que fez minha dor entender a sua. Mas quem sou eu para saber o que eu sinto, o que você sente?

 

Sei que existe um fantasma que você não quer deixar ir embora, que transformou seu coração em uma ferida aberta. Eu só posso olhar dentro dele se você permitir, mas isso não me fará chegar mais longe de você; sentindo, você poderá tentar cicatrizar cada ferida. Que tipo de amor poderia te fazer sangrar eternamente? Não existe um amor que te fará sangrar.

 

Pode dormir, entrar em sonhos sem faces e em mundos sem vozes. Estarei aqui quando você quiser abrir os olhos e assistir ao final da tempestade. Vou observá-la por você enquanto isso. Nada se perderá enquanto existir alguém para enxergar através destas lágrimas.”

 

-----

 

Fazia muito tempo que eu não escrevi tão livremente. Não saiu bom, mas foi o que eu senti no coração.



Speak Up!

28/08/2009 às 22h23

... pessoas que parecem legais

Ouvindo: 12:51 – The Strokes

 

Detesto estereótipos. No entanto, parece que, por alguma razão que foge do meu entendimento, as pessoas adoram tentar me colocar dentro de um Becker, rotular e falar que sou um experimento social para divagarem sobre. Não apenas comigo, claro – se fazem com um, fazem com outros. Porém, sinto-me como um alvo fácil: costumo falar o que penso quando isso não machucará os outros, andar saltitando, rir alto e falar rápido. Junte á isso gostar de maquiagem e todos acharão, a primeira vista, que você é uma caricatura esboçada que saiu da própria imaginação.

 

         Se todos fossem os personagens planos que alguns acreditam que somos, não haveria o menor motivo para estarmos aqui. “Se somos aquilo, vamos ser sempre aquilo.” Quem julga que os outros são assim, não costuma ter muita positividade para acreditar que as pessoas podem evoluir dentro de si mesmas. “Se, se, se.” Me parece que quem não consegue enxergar alguém além da esfera da superfície vive pelo “se”. Nunca pelo ser, pelo que existe além. Vêm os outros como pratos rasos sem nenhum reflexo no fundo.

 

         È triste pensar que algumas pessoas de mente tão grande possam ter uma visão tão fechada. Seus ouvidos são apurados, mas seus olhos são cobertos por uma neblina densa que não os deixa observar com clareza as pequenas sutilezas que foram um ser. Não o “ser humano”. Não um “ambiente social”. Um ser. Sem definição de gênero, idade, do que gosta, como fala, como anda, o que veste, como ri, se sabe acertar uma cesta de basquete ou se sabe dirigir um carro de corrida. Ninguém é uma caricatura – todos são parte obras primas, parte esboços e parte intricados cheios de branco á serem preenchidos.

 

         Eu realmente gostaria que esperassem subir a cortina para dizerem que viram a peça.



Speak Up!

21/07/2009 às 23h14

... em balanços

*O primeiro paragráfo deste post, na verdade, é um pedaço de um e-mail que enviei para um grande amigo. Desculpe ter abandonado o blog - prometo melhorar nisso!* 

Até hoje meu brinquedo favorito em parque são os balanços. Nunca, desde pequena, consigo soltar uma das mãos. No entanto, sempre gostei de ir o mais alto que podia. Acho que eu sempre quis voar de mãos dadas com algo; peguei-me pensando nisso em vários momentos essa semana, inclusive acho que tem algo atrás desse pensamento que eu mesma ainda não consegui enxergar. Sabe aquela estatua grega onde a mulher não tem cabeça, mas tem asas? Acho que ainda não perdi a cabeça o suficiente para ganhar as asas; ainda preciso me segurar.

 

Um dia, acho que talvez eu solte uma das mãos. Ou consiga pular do alto do balanço, como algumas crianças fazem. Duvido da ultima parte, mas sinto que a primeira vai chegar – talvez mais rápido do que eu estou prevendo. No fundo, percebo que asas vem de fé e sentimentos e que a cabeça vem da lógica e emoções; sim, juntas.

 

Uma vez, com uma pessoa, eu consegui só ter fé e sentimentos – mas não tinha nada para me segurar no balanço. Eu cai, e acho que foi esse meu medo desde pequena. Hoje eu voltei para o brinquedo, para esse jogo de dar o impulso para chegar mais alto, alcançar os céus. A próxima vez que eu conseguir ter asas, eu sei que vai ser com alguém que vai criar asas ao meu lado para poder soltar as cordas; e poder esquecer quando nada me segurou.

 



Speak Up!

04/06/2009 às 19h18

... em "você pode correr, mas não pode se esconder"

♥ Beauty And The Beast - Nightwish

Fazia MUITO tempo que eu não ouvia essa música. Muito mesmo, astronomicamente maior do que o tempo que eu não atualizo este blog, e isso é dizer alguma coisa. No entanto, quando eu coloquei ela para tocar hoje eu lembrei de cada momento que eu passei com ela: a primeira vez que ouvi Nigthwish, as noites acordadas no MSN cantando ela com meu amigo, todas as vezes que me senti como nela e, principalmente, do show do Nightwish.

Agora, este show mudou minha vida e não falo isso só porque ele foi fantástico – mesmo que tenha sido. É por causa do que aconteceu lá, de quem eu conheci lá. Toda vez que olho para trás, vejo que os últimos cinco anos teriam sido 100% diferentes não fosse por aquele quatro e cinco de dezembro. Mas foi para bom? Não sei. Olhando para trás, eu sinto vontade de apagar algo que chegou até a minha vida aquele dia; porém, eu sei que se fizesse isso perderia milhares de coisas e pessoas boas que aconteceram justamente por algo tão ruim que parecia tão bom. Sei que pode parecer confuso, mas quero evitar dar nomes aos bois – ainda mais porque eu não me chamo Guimarães Rosa para ficar escrevendo sobre bois, então vou direto ao ponto chave (fique bem claro aqui que eu AMO Sagarana; mas seria falsidade minha dizer que não tem um monte de bois por lá!).

Apareceu algo novo na minha vida, lá para meados de Abril, que eu tinha me decidido por ignorar. Totalmente. As vezes me sinto até meio budista: tento me desligar, elevar, não ligar para o redor para poder me focar no que eu julgo realmente importante. Porém, como todo plano perfeito tem sempre defeitos (ler revistinhas da turma da Mônica para provar isso pelo Cebolinha! Hehe), eu não consegui. Nessa semana, parece que tudo que eu tentei afastar de mim por quase nove meses me encontrou. Eu me sinto como se eu tivesse batido a cabeça num muro que eu pensei ter deixado para trás. A cena ficaria meio que patética: menina baixinha correndo, olha para trás e mostra a língua, e nisso bate a cabeça num muro. È,foi algo assim.

Nos últimos dias, ando sentindo coisas que eu não quis mais sentir. Ando tendo reações que eu achei que tinha parado de ter. Sinto que corri uma maratona para escapar de algo que sabia exatamente aonde ia ser minha linha de chegada. Mas será que esta é ela?

Bem, logicamente a ligação Nightwish + isso não faz muito sentido. Mas faz, eu juro. Foi graças ao que chegou para mim naquele dia que nos últimos nove meses eu tentei me manter longe dos sentimentos que começaram a chegar até mim.

No que isso acrescenta no post? Eu não sei direito. Ainda não sei direito como isso acrescenta nem a mim! Tudo que sei é que acho que estou aprendendo que aquele ditado de vilões de historinhas é verdade: você pode correr, mas não pode se esconder. E eu achando que estava bem escondida...

 

P.s: Juro que este post foi porque eu precisava colocar estes pensamentos em ordem!

P.s.2: Juro que o próximo vai ser mais pratico!

P.s.3: Estou super atrasada com a série musical, eu sei. É que ando tão inspirada, tem tantos vídeos que eu quero fazer! Um deles é inspirado nas cartas do baralho (só um, não é série), outro é um visual noiva, me pediram um festa junina e eu ainda quero fazer um BEM romântico especial para o dia dos namorados!

P.s.4: Perdoem uma Mari por ter abandonado o blog, sim? =~

 



Speak Up!

10/05/2009 às 18h49

... em tempos

♥ Nine Crimes - Damien Rice

Abandonei um pouco, mas voltei. O importante é sempre voltar, certo? Estive aqui pensando essa semana inteira em fazer um post extenso e lindo sobre o dia das mães e sobre um dos maiores amores da minha vida, que é a minha. Mas qual a serventia de um post extenso e lindo se ele não consegue chegar nem perto da margem onde começam os meus sentimentos?

Então, o post se resume em "voltar". Porque, seja lá para onde você for, mãe é aquela que sempre esta esperando você voltar. Mesmo quando você não voltará, ela vai achar o caminho até você. Porque sempre que você passou um dia horrivel e queria voltar a ser pequeno, ela vai te fazer voltar. Ela vai te fazer voltar para o bem estar quando você estiver se sentindo doente - fisica ou emocionalmente. Ela vai te fazer voltar ao seu juizo e paciência quando você perde-los.

Não poderia ser mais do que merecido que todos os dias do ano nos voltassemos para os braços das nossas mães para falarmos que as amamos. Infelizmente, alguns não podem: distância fisica ou aquela que não pode ser medida. No entanto, mães sempre conseguem voltar para perto ao menos pensamento nelas.

Sendo assim, para todas as mães por ai, feliz dia das mães e parabéns por serem estes seres magnificos que são. Especialmente para a minha mãe; a qual não troco, não empresto e para a qual eu volto todos os dias o tempo todo. ♥ Com amor.



Speak Up!

26/04/2009 às 16h21

... na noite de ontem

♥ Video - India.Arie

Primeiro de tudo, se você não conhece India.Arie você tem que conhecer! Essa música dela é minha favorita e acho que deveria ser obrigatória no mp3 player/Ipod/cd player/vitrola ou seja lá que aparelho você usar para ouvir sons! A letra dela é perfeita para notar que o mais importante para ser linda é se amar exatamente pelo que você é; porque, e o que muita gente não nota, é que você perfeita exatamente como você é. Cada sarda sua esta exatamente onde deve estar e seja lá seu tamanho, a marca da sua roupa ou o que falam, você é uma rainha por ser você mesma quando aprende a se amar.

Então, á fins didáticos, a tradução do refrão da música:

"Não sou a garota normal do seu vídeo
E não tenho o corpo de uma supermodelo
Mas eu aprendi a me amar incondicionalmente
Porque sou uma rainha
Não sou a garota normal de seu vídeo
Meu valor não é o mesmo do preço das minhas roupas
Independente do que eu visto eu sempre serei eu mesma"

Gostaram? Baixeeeem a música, prometo que vocês vão gostar! A India.Arie tem uma voz deliciosa também. Outra faixa dela que eu tenha uma paixonite, por ter um signficado muito especial para mim, é The Heart Of The Matter. Então, se puder baixar...

Ah, claro: o link para a letra de Video (tradução):

http://letras.terra.com.br/india-arie/170005/

Indo agora para meu pensamento no momento: ontem, apesar de uma gripe maledeta que anda me impedindo de postar com a frequência que eu gostaria, fui fazer um trabalho de Política na casa de uma amiga. No final, fizemos um pouco do trabalho e muita fofoca, eu confesso! Mas relaxem que tudo esta em andamento hehe Mas o que se assussede é que depois elas conseguiram me intimar/convencer á sair com elas de noite para um bar de karaoke.

Lógico que como vocês devem prever eu maquiei cada uma delas para sair! Acontece que foi a primeira vez que eu tive a chance de fazer isso (nos conhecemos fazer alguns meses apenas, na faculdade) e infelizmente não tinha praticamente nada (para os meus padrões, hehe) para poder fazer tudo que eu queria, mas mesmo assim quis bolar um visual diferente para cada uma que combinasse mais com a personalidade delas. O ponto em que eu quero chegar é que eu não deixei elas se olharem durante o processo e quando elas se viram no espelho pela primeira vez, cada uma delas deu um sorriso tão grande e ficou TÃO feliz que eu tive uma certeza dentro de mim: qualquer coisa que eu vá fazer durante minha vida, eu quero que faça as pessoas se sentirem assim felizes.

Eu sou do tipo de pessoa que anda saltitando, o tempo inteiro. Falo mais alto do que deveria, adoro conversar, não consigo ver alguém triste sem querer abraçar a pessoa e fazer passar tudo de mal que elas estão sentindo. Então, fazer os outros felizes é um dos maiores presentes que eu consigo ter nessa vida. Quando eu terminava de maquiar cada uma delas e eu via os rostos de surpresa, de alegria, e elas não paravam de tirar "auto fotos" (momento orkut rs)... eu notei que seja por meio de escrever ou da maquiagem, sempre sempre sempre quero que as pessoas, os animais, tudo que estiver envolvido seja um pouquinho mais feliz através do que eu estou fazendo. Acho que mesmo que eu não possa mudar o mundo, um pequeno ato pode mudar o momento de uma pessoa.

Sinceramente, não tenho palavras para agradecer quando alguém diz que adora me assistir, que os meus vídeos as ajudam, que gostam de ler o que eu escrevo. Vocês me agradecem por fazer, eu agradeço vocês por ficarem felizes através do que eu faço! *-*

Agora falando de algo mais "ameno", para quem ficou curiosa para ver como ficaram minhas amigas, aqui as fotos!

Esta aqui é a Bruna! O olho dela é com MUITO, MUITO, MUITOOO preto. No começo do canto interno, é iluminado com um pouco de prata para não pesar. Quis fazer um visual meio que puxado para o da Jenny de Gossip Girl, porque a Bub's ama moda e tem um estilo super marcante, que nem a personagem. Mantive as bochechas e a boca bem neutros, já que o olho é realmenteeee marcado.

Aqui nessas duas fotos, dá para ver a Maria (a menina lindona com cara de Pocahontas!). Nela, eu preferi manter um visual smokey, que super combina com ela! Os cantos iinternos são bem iluminados, com a palpébra levemente dourada e o V externo em cinza chumbo. Para marcar um pouco mais o olhar, usei delineador e um pouco de lápis preto, que vão super bem nela! Não dá para notas nas fotos, mas fiz um pouco de contorno no rosto dela para ressaltar as maças do rosto e a boca eu mantive com um rosa de reflexos dourados. Nas fotos você também vê a Babi, que eu já vou comentar, e de novo a Bub's!

A Babi tem traços clássicos e marcados, por isso ela é daquelas pessoas em que sempre menos é mais! Por causa da beleza clássica, quis fazer algo numa linha anos 40, mais sofisticadão mesmo. Os olhos foram mantidos super neutros, só marcando o côncavo com uma sombra marrom ameixa, um tom de pele para iluminador, delineador num traço não puxado e um pouco de lápis marrom para ajudar a amendoar o formato dos olhos. A boca dela é lindona, carnuda e bem marcada, então usei um batom rosa ameixa e um gloss mais avermelhado por cima. 

E a minha pessoa se arrumou na pressa e por isso nem fiz nada demais em mim: só um tiquinho de tons neutros para iluminar, um tiquinho de nada de uma sombra marrom meio vinho no canto externo, um lápizinho marrom e só retoquei meu blush e meu gloss. Mais básico, impossível! Então desculpe á quem me esperava ver super produzida '-' hehehe Fica para a próxima!

Tem fotos de eu maquiando as meninas, mas estou esperando elas me mandarem porque as que eu tenho eu só apareci fazendo careta .____. hehehe

Espero que vocês tenham gostado de ver os visuais que fiz nelas! Se tem algum que voc~es gostariam de um tutorial (acho o da Bruna, super preto, muito legal!), me avisem que eu providenciarei!

 

P.s: meu irmão ficou todo carente porque eu disse que ele não tem futuro musical hahahahah Ele cismou agora que fará aulas de canto, será famoso e eu irei me arrepender das minhas palavras! Também me disse que eu nunca vou poder fazer critícas de música porque não tenho "ouvido" :p

P.s.2: sim, EU CANTEI! Fui arrastada para o palco, melhor dizendo, pelas damas que eu apresentei á vocês neste post. E lá fui eu, com garganta dolorida, fazer os berrinhos de Baby One More Time. Acho que sou desafinada e aguda o suficiente para chamar golfinhos á distância...

 

 



Speak Up!

17/04/2009 às 18h43

... em como bisturis dão medo

♥ Ouvindo: meu irmão cantando músiquinhas no quarto ao lado

Um update super mega rápido só para contar que eu vou me enrolar total para por o novo tutorial no ar. Estou doente, com amigdalite, sem voz e com aquela carinha inchada, nariz vermelho, etcs e tals tão comuns nas vidas de pessoas cujas amigdalas são um tormento. Por sinal, agora em Julho não vou mais escapar de fazer a cirurgia para remover elas - e ainda por cima meu otorrino quer "aproveitar" e já arrumar meu desvio de septo. Medo, medo, MEDO!!! Bisturis, anestesias, recuperações de para lá de duas semanas, não poder comer quase nada...

Sabe, todas minhas cirurgias acabam sendo dietas. Digo isso porque eu só fiz até hoje para retirar os cisos (tenho dois ainda para tirar... sou azarada e nasci com quatro sabedorias u-u) e fiquei vivendo de sorvete por uma semana. Para quem nunca viveu de sorvete por uma semana, isso parece praticamente os campos Eliséos. Para quem já morreu de sorvete por uma semana, sabe que isso significa enjoar totalmente depois dos dois primeiros dias e perder dois quilos assim de rápido. Ou seja: cirurgia para mim é melhor que qualquer dieta. Sem contar que eu fico tão enjoada de sorvete que não consigo ver um na minha frente por um mês depois!

Ai, amigdalas, por que vocês tinham que me odiar tanto?

Bem, voltando ao bafafá inicial: sendo assim eu não vou conseguir gravar acho que nada essa semana. O que é PÉSSIMO, porque eu estou cheia de vídeos que eu quero gravar! Tem o primeiro do estilo musical, tem um que eu quero fazer inspirado (veja bem, não é identico) meio que misturando os estilos das Sweet e Himes Lolitas japonesas (vou fazer ainda um post sobre isso! To in love com Lolitas ♥), tem um de "como salvar sua cara quando você esta doente/passou a noite sem dormir/quando foi para a balada e dançou a noite toda/tem um encontro e não dormiu de ansiosa"... etcs de situações assim. Ou seja, ao menos três vídeos pendentes! Aiaiaiai  tenho que fazer malabarismo para gravar tudo logo. Eu adoro fazer a gravação, mas confesso que eu vivo com a preguiçinha falando mais alto quando tenho que editar. Tem algo mais chatonildo do que editar? Tá, eu sei que tem gente que ama e que faz carreira milionária em Hollywood á base disso... mas eu sinceramente prefiro me tornar uma atriz famosa de Hollywood, casar com um co-star de um filme que seja cavalheiro e abra as portas e ter alguém que faça edições para mim! Mas, saindo da nuvem e voltando para meu leito enfermo *momento drama* *colocar música de fundo de piano* *parar de fazer comentários em asteristicos*

Ah, fazendo um OFF aqui: andaram me perguntando desse layout fofissimo do blog e eu fiz a mancada de ainda não comentar dele! Quem fez para mim foi a Bia, um amorzinho de pessoa que faz curso de webdesign e que na Páscoa queria uma cobaia (a.k.a, eu). Ela foi super legal, perguntou tudinho de como eu queria, eu passei umas imagens, ela fez rapidinho... Em outras palavras, adorei! Quando encontrar com ela no msn, vou pedir permissão para ela e ver se eu posso dar o contato para alguém que se interessar.

Agora, me despeço porque eu sinto uma necessidade gigantesca de me jogar na minha cama, ver comédias românticas água com açúcar e tomar litros e litros de Gatorade. Mas, como eu não tenho Gatorade em casa, vou me jogar em litros e litros de água mesmo.

Embora eu sinta esse desejo no meu subconsciente de ir contar para meu irmão que ele não deveria pensar em seguir a carreira musical ...



Speak Up!

15/04/2009 às 18h09

... em porque algumas pessoas gostam de tratar outros como insignificantes.

♥ Ouvindo: Angel de Amor - Maná

Eu não sou um ser que fica facilmente irritado. Na querida tpm, ao invés de ter cascos, eu tenho um reservatório de água em constante enchente que sai pelos olhos; mas irritação, mesmo, é díficil de me causar. Poucas coisas conseguem me dar vontade de torturar as pessoas com uma lapiseira 0.5mm, mas quando isso acontece... ah, ai eu penso que eu queria uma lapiseira 0.1!

Uma dessas coisas rarissimas que me irritam é o povo que se acha superior. Nisso eu incluo aqueles que tem 15 anos e acham que pessoas de 12 são idiotas, criaturas de mente fechada que não aceitam uma opinião diferente porque apenas a sua tem razão, seres que julgam que por você gostar de algo (maquiagem, va lá!) você é um ser fútil que não entende de mais nada e deveria ser tratado como alguém que tem apenas metade da massa cefálica de uma pessoa normal. Todas vocês conhecem esses tipinhos; sim, tipinhos. Porque quem se acha tão maior do que os outros costuma ser é pequeno demais para olhar ao redor e conseguir ver a amplitude de tudo. Estão tão centrados em seus mundos do tamanho de um grão de areia que acham que o que está fora é uma forma de vida não inteligente e que não consegue apreciar o mesmo que eles. Bem, como eu tenho o prazer secreto de acreditar que ninguém lendo isso é um tipinho, só posso dizer: that's just too bad, babe.

Gosto de acreditar que todos tem um valor incrivelmente grande e rico. Eu creio que a criança de quatro anos pode me passar uma lição valiosa, assim como um adulto de seus 40 ou um velhinho de 90. A menina que adora maquiagem também pode entender de tudo sobre biologia, porque não? Aquele cara que era todo timido e "nerd" em física pode ser o melhor jogador de futebol do mundo. O seu chefe de departamento pode, secretamente, entender tudo sobre novelas da rede Globo. Quem sabe? Ninguém, se as pessoas se prenderem num estereotipo. As pessoas não são caixinhas fechadas, quatro paredes: elas sempre são mais, muito mais. Todo mundo é mais! Todos tem o claro e o escuro dentro de sim e todas as nuances possíveis também. O que me irrita são as pessoas que acham que ou é preto, ou é branco e eles é que são o fluorescente do mundo.

Nessas horas, a vontade de pegar um lápis de cor e fazer bigodinhos e desenhar caretas nessas pessoas são grandes. Mas, no final das contas, acho que o mais importante é que eu sei que as pessoas-grão-de-areia no fundo tem que ter a mesma importância para mim do que o tamanho de suas mentes: pequeninissima.

E se você hoje se deparou com uma pessoa grão-de-areia, lembre-se que tem todo um oceano maravilhoso para você olhar por trás dele. Então, não se preocupe, siga em frente e fique bem!!!

... mas agora eu e minha febre só queremos saber de um pequeno cochilo! Logo mais um post mais interessante e dinâmico, hehehe



Speak Up!

13/04/2009 às 22h05

.. em resenhas, sombra MAC e em contos de fada.

♥ Ouvindo: Ever Ever After - Carrie Underwood

Eu a-d-o-r-o essa música! Áquelas que não conhecem, recomendo muito: toca na trilha sonora do filme Encantada, da Disney (é a música do final). Como eu me acho a caraaaa da Gisele (do filme!), eu não podia deixar de gostar da música rs Sou daquelas que ainda acreditam em finais felizes hehehe Vocês ainda me verão falando que um principe veio até meu quarto, usou meu cabelo para subir até minha janela e fez uma declaração a lá Romeu falando que seria minha luva para tocar meu rosto! *-* Ou... algo assim, ao menos. Quem sabe ele não suba pelo meu cabelo, que é fininho e poderia cair, e duvido um pouco que eu estivesse usando luvas. Mas vocês entenderam o espirito da coisa! Né?? ._.

Deixando meus contos de fada de lado (estranhamente estou com saudade da minha série das Princesas! Por sinal, eu não fiz a Gisele; acho que eu deveria dar um jeito nisso!), eu não sabia muito o que postar hoje e decidi dar uma de fadinha madrinha para áquelas que tem curiosidade de ver minha coleção. Como? Decidi que vou mostrar para vocês em vários posts, hoje sendo o primeiro, algumas dos meus produtos favoritos!

Dificilmente eu um dia farei um vídeo mostrando minha coleção, então eu decidi que assim ao menos vocês vão saber de tudinho que eu acho que é maravilhoso nela! De tempos em tempos mostrarei... e espero que vocês gostem!

Decidi começar com itens de peso: minhas sombras da MAC, sobra as quais muita gente faz perguntas! No caso, eu tenho oito sombras compactadas e dois Duos Mineralize (que sairam com a coleção Electroflash, se não me engano). Adoro todaaas! Descobri que meu acamento favorito é Veluxe Pearl e o Frost. Vou mostrar fotos para guiar o assunto...

Detalhe para o controle remoto no fundo! rs Todos os swatches juntos. Da esquerda para a direita:

três primeiras cores são do duo Mineralize Odd Couple (sim, três!), as três azuis são do duo mineralize Sea & Sky, Carbon, Woodwinked, Steamy, Star Violet, Lotusland, Stars'n'Rockets, Sushi Flower e por último Trax.

Sei que não é uma coleção enorme de sombras da MAC, mas elas me fazem feliz e são motivo de orgulho na minha coleção! Nós, povinho maluco que adora maquiagem, temos dessas coisas: eu lembro do dia que comprei cada uma, de como escolhi... acho que pareço mãe-coruja! hahahahaha Mas vocês me entendem... né???? Por sinal, eu comprei todas elas enquanto fazia intercâmbio, com exeção da Stars'n'Rockets e da Trax, que minha tia me trouxe de uma viagem á meu pedido.

Minhas favoritas são o duo Odd Couple, a Steamy e a Star Violet. Lembro que foi uma batalha conseguir o Odd Couple: acho que fui em três lojas da MAC no mesmo dia para poder conseguir ele! Era minha penúltima semana no Canadá e eu fiquei namorando ele tempos e tempos. Quando eu finalmente decidi que iria me da-lo como um "presente de despedida" e fui até a MAC mais próxima, tive a enorme decepção de não ter lá. Bem, nada tema, com a Mari não tem problema e lá fui eu até outro shopping... nada (mas nesse outro tinha uma doceria que me deixava gorda só de pensar: eles tinham um sorvete de mousse de chocolate triplo que até hoje sinto falta! :o).

Então, juntando coragem e mais grana para o ônibus, fui até o outro shopping. Vale falar que eu fiquei em Edmonton, a cidade que tem o shopping que até ano passado era o maior do mundo: o West Edmonton Mall. Preciso realmente falar que o que eu me perdi nesse shopping em oito meses não tá escrito em lugar nenhum? Isso porque tinha mapinha! Mas, tudo por um MAC: caminhei com minhas botas apertadas até lá e consegui minha queridinha! Até hoje quando olho para ela sinto um calo no meu mindinho, mas isso a gente releva...

Fotos das sombras solo em momento dá um close em mim mamãe!:

Trax (roxo amarronzado com brilhos dourados. Velvet)

Steamy (eu AMO verde turquesa. É uma das minhas cores favoritas de todos os tempos! Pena que é dificil achar roupas nessa cor... :/) (verde turquesa com reflexos dourados. Frost.)

Carbon (preta opaca/matte. Matte)

Sushi Flower (rosa pink! Lindinha demais :) Satin)

Star Violet (Rosa violetado [?] puxando para uma cor de vinho. Reflexos dourados. A mais usada e a minha queridona maior, como dá para notar pela foto! Veluxe Pearl)

Stars'n'Rockets (uma cor muito única. Ela vai do lilás ao rosa, depende de como você vê. Veluxe Pearl)

Woodwinked (um dourado ligeiramente envelhecido. Veluxe Pearl)

Lotusland (lilás bem fofinho e suave. Brilhos ligeiramente prata. Não sei o acabamento porque átras só está escrito que veio com a coleção Star Flash...)

Duo Mineralize Sea & Sky (azul mais escuro [azul bic rs], azul mais claro. Dá para fazer um azul médio e um azul arroxeado quando se mistura as cores da parte de cima)

Duo Mineralize Odd Couple (roxo lindissimo, purpúra mesmo. Dourado e lilás na parte superior)

Close dos swatches das compactadas

Close dos swatches dos duos.

 

Terminando: se alguém me perguntar o que diferencia uma sombra da MAC de outras, eu tenho alguns motivos. A pigmentação, logicamente, é muito superior á muitas outras (ainda mais porque a marca se especializa em produtos mais para o mercado dos makeup artistis/maquiadores profissionais). Porém, eles tem uma variedade de cores e de acamentos que deixa qualquer outro no chinelo! Eles tem produtos para agradar meninas discretas e meninas super "cheguei". Com certeza vale a pena ao menos conhecer!

Dá para comprar sombras MAC no Brasil, sim, mas o preço é os olhos da cara dessa encarnação e da próxima e provavelmente um pedaço do seu fígado acaba indo também porque dificilmente você vai querer só uma. Por isso, acho que vale a pena checar a Bridgette's Boutique http://www.brigettesboutique.com/MAC_s/53.htm Lá, dá para encontrar sombras e outros produtos da MAC por o preço semelhante ao que se cobra nas lojas lá fora (10 á 15 dólares). Entregam no Brasil e enviam como pessoa física, o que é sempre uma mão na roda para não ser taxada pela Receita Federal. O dificil é conter o bolso olhando o site...

Bem gente, é isso! Espero que tenham gostado do up close nas minhas queridinhas. Gostaram? Querem mais posts desse genêro de vez em quando para poder verem minha coleção em detalhes? Me dêem um feedback, é muito importante para que eu saiba o que anda agradando mais vocês!

Alguns offs:

* Depois vou contar para vocês a minha "Saga do Cílio Postiço". É para rir ou para chorar...

* Alguém já descobriu qual é o estilo musical do próximo look! Hmmm, quem será que foi? Mistério :x

* Nos coments, chamaram a atenção para eu gostar de animê: eu adoro! Confesso que sou das antigas e meus preferidos são Cavaleiros do Zódiaco, Sailor Moon, Sakura Card Captors, Guerreiras Mágicas de Rayearth e Dragon Ball. Preciso me interar mais nisso! Um post sobre animês + coisinhas do Japão sairá logo mais!

Agora, me despeço porque um ovo de chocolate trufado me aguarda ansiosamente. Ainda por cima, é da Cacau Show. Já experimentaram os chocolates de lá? Juro que é a essência do néctar dos deuses!

 Eu vou, eu vou, comer meu chocolatinho eu vou... pararatimbum, paratimbum, eu vou, eu vou eu vou eu vouuuu!

 



Speak Up!

12/04/2009 às 20h05

... em primeiros posts

Ouvindo: What Ever Happened – The Strokes

Um primeiro post de verdade! A não ser que você conte minha parodia apressada de musica infantil como um post, o que eu realmente prefiro não fazer.

O que eu vou falar aqui neste blog? Bem, logicamente eu vou cobrir toda a parte de maquiagem-beleza-etc que eu sei que vocês querem! Mas eu também vou vir dar uns pitocos sobre pensamentos, livros, CDs, animes... qualquer coisa realmente!

O titulo pode soar estranho para alguns: Saltos de Pijama. Na verdade, esse titulo é ambíguo porque eu realmente quis que ele tivesse dois sentidos; o primeiro é usar saltos altos de pijama. Sabe aqueles dias apressados que parece que você foi da manhã até a noite num piscar de olhos? È assim que eu me sinto muitas vezes, como se eu tivesse que usar um salto agulha com meus pijamas para já estar pronta para tudo. O outro sentido seria mais “filosófico”: eu sou do tipo de pessoa que gosta de sonhar acordada. Como uma vez eu disse para uma amiga, as vezes acho que eu até tenho alergia da minha imaginação! Então, como eu vivo nas nuvens, parece que eu dou altos saltos sonhando... sonhar + dormir = pijamas! Bem, talvez não seja tão filosófico assim rs

No momento esse layout me faz querer muito um Cupcake. Alguém servido de um trufado para comemorar a Páscoa???



Speak Up!